jrh log
ANO XIV - 1º jornal 100% online de Roraima desde 2014


Marinez Andrade

Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa

Quinta-feira, 6 de junho de 2019
Um guia abrangente sobre a Síndrome Metabólica

A síndrome metabólica é uma condição indescritível e complexa que facilmente é mal compreendida. Como qualquer outra síndrome, a síndrome metabólica é, na verdade, um grupo de algumas condições diferentes que, quando ocorrem juntas, podem aumentar significativamente o risco de diabetes tipo 2 e doenças cardíacas. A parte mais alarmante é que esta síndrome é tudo menos incomum, com cerca de um quarto da população total e 60% dos adultos com mais de 50 anos sofrendo de síndrome metabólica.

Essas taxas alarmantes também não são constantes e, de acordo com pesquisas médicas, mais e mais pessoas, incluindo adolescentes e adultos jovens, são diagnosticados com síndrome metabólica a cada ano. Neste artigo, fornecemos informações essenciais sobre a síndrome metabólica, incluindo seus sintomas, causas e prevenção.

Sinais e sintomas - A síndrome metabólica ocorre como resultado de uma maneira anormal que seu corpo processa e distribui energia, daí a ligação com o metabolismo. Um sinal precoce da síndrome metabólica é a obesidade central ou o acúmulo de excesso de peso corporal na cintura e na área do tronco. O termo é usado como sinônimo da chamada "forma do corpo de maçã", ilustrada abaixo.

Síndrome metabólica - Pessoas com obesidade central estão acima do peso (têm um IMC de 25 ou mais), mas elas têm membros esbeltos e barriga redonda. Uma circunferência da cintura de mais de 94 cm em homens ou mais de 80 cm em mulheres pode ser considerada como obesidade central e pode ser uma razão para seu médico testá-lo para síndrome metabólica, especialmente se você tiver mais de 50 anos.

Além da obesidade central, a síndrome metabólica em seus estágios iniciais é assintomática e os sinais remanescentes da doença geralmente são descobertos durante exames de rotina.
Esses sinais incluem:
• Pressão alta (130/85 e mais)
• Resistência à insulina
• Níveis anormais de glicose
• Níveis baixos de colesterol HDL
• Altos níveis de triglicérides.

Em estágios mais avançados, podem ocorrer sintomas semelhantes ao diabetes, como fadiga, visão turva, aumento da sede e micção. Tenha em mente que ter um desses sinais e sintomas não significa que você tenha síndrome metabólica, uma pessoa é diagnosticada com a condição somente quando todos ou a maioria desses sinais se manifestam.

Complicações - A falta de tratamento e controle de peso pode resultar em complicações graves, como o desenvolvimento de diabetes tipo 2 e doenças cardíacas (ataque cardíaco, doença coronariana, etc.). De forma alarmante, a síndrome metabólica é considerada o maior preditor dessas condições. Pesquisas recentes também estabeleceram uma possível ligação entre a síndrome metabólica e o declínio cognitivo e a demência.

Causas e fatores de risco - Como mencionamos na introdução, cerca de 25% da população sofre de síndrome metabólica, mas a distribuição dos pacientes não é aleatória, e algumas pessoas têm um risco maior de desenvolver síndrome metabólica do que outras.

O quê aumenta a chance de sofrer de síndrome metabólica:
• Idade. Quanto mais velho você ficar, maior a probabilidade de sofrer de síndrome metabólica, com 60% dos americanos com mais de 50 anos sendo diagnosticados com a síndrome.
• Obesidade. Indivíduos com sobrepeso são significativamente mais propensos a sofrer de síndrome metabólica, sendo a obesidade o segundo maior fator de risco após a idade.
• Etnia. As minorias étnicas, particularmente as hispânicas, têm o maior risco de ter síndrome metabólica nos Estados Unidos.
• Outras doenças. Pessoas com história familiar de diabetes, ou que sofrem de apneia do sono, doença do fígado gorduroso ou síndrome do ovário policístico são mais propensas a sofrer de síndrome metabólica.

Quanto às causas da síndrome metabólica, elas são uma questão de pesquisa médica ativa, mas sabemos que um estilo de vida sedentário, excesso de peso e estresse são fatores contribuintes significativos. Em particular, uma dieta rica em gorduras ômega-6 (gorduras saturadas) e adição de açúcar, especialmente bebidas doces, foi associada à condição. Pesquisas médicas também mostram que boas escolhas de estilo de vida podem atrasar e prevenir a progressão da síndrome metabólica.

Prevenção e Tratamento - Para tratar a síndrome metabólica, seu médico abordará cada sintoma que você apresentar separadamente, provavelmente prescrevendo medicamentos para tratar a hipertensão e controlar o colesterol. Estes são medicamentos de prescrição necessários para evitar as complicações perigosas da síndrome metabólica. Mas, uma vez que uma das principais causas conhecidas da síndrome metabólica é a inatividade e o excesso de peso, escolhas saudáveis no estilo de vida podem ajudar a preveni-la.

Uma dieta saudável e exercícios podem melhorar os sintomas pré-diabéticos, se você já tiver a síndrome. Embora um nutricionista licenciado e seu médico possam lhe dar as melhores recomendações, aqui estão algumas escolhas de estilo de vida básicas, porém eficazes, que você pode fazer para prevenir e gerenciar o desenvolvimento da doença:

1. Seja fisicamente ativo por pelo menos 30 minutos na maioria dos dias.
2. Coma muitos grãos integrais, vegetais, frutas e proteínas magras.
3. Limite a quantidade de gordura saturada e trans, bem como sal.
4. Fique longe de bebidas açucaradas.
5. Esforce-se para manter um peso saudável.
6. Não fume ou beba álcool.

0
0
0
s2smodern

logo JRH down