16 de maio de 2022 11:47 AM

Escolegis

Dicas valiosas de professores devem influenciar no acerto de questões para o magistério indígena

Foto: Eduardo Andrade
Macetes são fundamentais porque permitem que candidato ganhe tempo na hora da prova 
Marilena Freitas

Quem está focado em passar no concurso público para o magistério da educação indígena da Secretaria Estadual de Educação (Seed) não pode perder o aulão promovido pela Escolegis (Escola do Legislativo), da Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR). Dicas e macetes valiosos serão repassados pelos professores da instituição, nesta sexta-feira (18), das 18h às 22h, no Plenário Deputada Noêmia Bastos Amazonas.

Para assistir presencialmente, é necessário que o aluno confirme na direção da Escolegis. A exigência tem como finalidade atender aos protocolos sanitários da covid-19. O aulão será transmitido pela TV Assembleia, canal 57.3, e pelas redes sociais do Parlamento (@assembleia).

O professor Jardel Leite, que vai ministrar a disciplina de Raciocínio Lógico, disse que todas as “dicas são válidas, pois ajudam os concurseiros a ganhar tempo na hora da prova”.

“Os alunos sempre têm medo de raciocínio lógico. Mas para essa disciplina, o importante é que o concurseiro faça mapas mentais do conteúdo e resolva muitas questões. Farei os apontamentos de como fazer os mapas mentais”, recomendou.

Leite dará os macetes para ler e interpretar as questões para a resolução dos exercícios, que serão baseados nos que são cobrados pela banca que realizará o concurso.

“Quem assistir ao aulão, terá a oportunidade de aprender a calcular a representação de algo em porcentagem, que na maioria das vezes o aluno utiliza a regra de três e acaba desperdiçando tempo na resolução da questão, apenas aplicando os macetes”, comentou.

Grande parte da resolução das questões de raciocínio lógico, segundo explicou, exige interpretação, que é uma dinâmica típica do português. “Por isso, é importante o concurseiro aproveitar cada aula, inclusive o aulão, que terá muitos macetes, fazendo as anotações das dicas e resolvendo as questões de outras provas elaboradas pela banca”, reforçou.

A professora Gislayne Silva de Deus também faz parte do time do aulão e vai esmiuçar a Lei Complementar (LC) nº 053/2001, que trata do Regime Jurídico Único do Estado de Roraima, e rege a vida profissional dos servidores públicos, sendo de grande importância porque traz direitos e deveres.

Para ela, as dicas que serão passadas durante são relevantes porque todos os professores “analisam e estudam as bancas, bem como as questões, tornando-as certeiras”.

A Lei Complementar n° 053 é curinga em todos os concursos do Estado. Segundo Gislayne, é importante focar nos tópicos de provimento, vacância e regime jurídico, questões rotineiras nas provas.

“Vou trazer dicas para o aluno identificar as formas de provimento originário e derivado, sobre quais as espécies de vacância e o Regime Disciplinar, que trata da sindicância e do Processo Administrativo Disciplinar, conhecido como PAD. O aluno tem que se atentar à letra da lei, pois a banca é muito legalista. Então, não perca o aulão porque essas dicas servirão para outros concursos”, aconselhou a professora, ao relatar que no concurso passado, também para professor, os concurseiros acertaram muitas questões ao colocarem em prática esses macetes.