16 de maio de 2022 10:59 AM

Saúde

Petrópolis tem 876 abrigados em 13 pontos montados pela prefeitura

Foto: Fernando Frazão - Agência Brasil
Pontos de apoio foram montados em escolas da rede municipal
Alana Gandra

No momento, 876 pessoas estão abrigadas nos 13 pontos de apoio montados em escolas da rede municipal de educação da prefeitura de Petrópolis, além do Colégio Estadual Rui Barbosa, informou hoje (28) a administração local.

A Secretaria de Assistência Social continua oferecendo atendimento para as pessoas que tiveram que sair de suas casas devido ao risco oferecido nas áreas onde moravam. A prefeitura mantém 13 pontos de apoio. Nos locais, estruturados em escolas da rede pública, os abrigados recebem alimentação, atendimentos de assistência social e de psicólogos, médicos e enfermeiros.

Todas as pessoas que tiveram que recorrer aos pontos de apoio terão direito ao aluguel social no valor de R$ 1 mil, sendo R$ 800 pagos pelo governo estadual e R$ 200 pagos pela prefeitura de Petrópolis. Essas pessoas estão automaticamente cadastradas no programa do Aluguel Social.

Buscas

O Corpo de Bombeiros do Estado do Rio de Janeiro (CBMERJ) finalizou ontem (27) as buscas no Morro da Oficina, concluindo a lista das 93 vítimas por duas pessoas. Os militares continuam em operação no Chácara Flora, onde buscam por duas pessoas. Ao mesmo tempo, fazem varredura nos rios da cidade, onde três vítimas desapareceram. Cerca de 230 militares atuam na operação.

De acordo com a CBMERJ, foram registrados mais de 100 pontos de buscas, envolvendo acima de 500 bombeiros fluminenses e 140 de outros estados, além de mais de 50 cães farejadores. A corporação vem trabalhando 24 horas por dia, desde a tarde do último dia 15, nas operações de busca e resgate de vítimas das fortes chuvas que atingiram Petrópolis, na Região Serrana fluminense. Vinte e quatro pessoas foram resgatadas com vida pelos militares.

Suporte

O governo municipal acompanha as buscas e mantém suporte aos bombeiros nos trabalhos no bairro Chácara Flora e no Rio Piabanha. Até o momento, a equipe Técnica e Científica da Polícia Civil registrou 229 óbitos, sendo 136 mulheres, 93 homens e 43 menores.

O prefeito Rubens Bomtempo afirmou que vai seguir garantindo o suporte necessário para que os militares encontrem os que ainda estão desaparecidos no município. “Nossa prioridade são essas buscas e o atendimento de todas as pessoas afetadas”, destacou.

Até que as buscas cessem, o prefeito assegurou que equipes seguirão atuando no suporte aos bombeiros militares, para garantir o isolamento das áreas e agilizar a retirada de escombros, visando o melhor acesso aos locais de buscas. Uma das iniciativas acompanhadas pela Secretaria de Defesa Civil com essa finalidade são as detonações de rocha. Ontem (27), foi efetuada mais uma ação do tipo no Alto da Serra, para facilitar os trabalhos no Morro da Oficina.

A medida utiliza técnica de baixo impacto, a partir de reação química que desmonta o bloco causando pouco abalo, e não oferece riscos para a população do entorno.

Vistorias

A Defesa Civil deu seguimento ontem (27) às vistorias nas áreas afetadas. Até o momento, 1.713 análises estão em andamento pela equipe técnica, formada por engenheiros e geólogos, e mais de 400 interdições já foram comunicadas. Nos últimos 12 dias, 3.271 ocorrências foram registradas, a maioria delas por deslizamentos.

Além dos registros em função da forte chuva do dia 15, a Defesa Civil tem recebido, ao longo dos últimos dias, chamados de ocorrências devido à instabilidade do solo e das encostas no município. Somente ontem (27), foram registradas mais 110 ocorrências, por 19 localidades. No período, o número de regiões afetadas chega a 43. As localidades com o maior número de ocorrência englobam Alto da Serra, Castelânea, Centro, Chácara Flora, Quitandinha, Caxambu, São Sebastião, Valparaíso, Vila Militar, Floresta, Coronel Veiga, Saldanha Marinho, Morin, Mosela, Independência, Estrada da Saudade, Corrêas, Retiro, Bingen, Siméria e Duarte da Silveira.

Abastecimento

Nesta segunda-feira (28), o abastecimento de água em Petrópolis se mantém normal. A concessionária Águas do Imperador informou que as sete Estações de Tratamento de Água (ETAs) continuam operando normalmente e o abastecimento em toda a cidade está regularizado, inclusive nos bairros atingidos, onde o abastecimento está suspenso apenas nas áreas diretamente atingidas pelos deslizamentos.

Em relação ao fornecimento de energia elétrica, a Enel informou que o serviço foi restabelecido para 30 mil usuários e que suas equipes deram seguimento ao atendimento ontem (27), nas regiões do Chácara Flora e Rua Lopes de Castro. Segundo a Enel, mais 46 famílias tiveram o fornecimento de energia normalizado.

Ônibus

As empresas de ônibus procuram restabelecer gradualmente hoje (28), em caráter emergencial, a operação das linhas de ônibus, em Petrópolis. Os coletivos ainda operam com redução de horários e frota reduzida, não só devido às obstruções viárias, mas também pela falta de colaboradores que tiveram perdas familiares e materiais e não conseguiram retornar aos trabalhos. Há ainda veículos que precisam de manutenção e reparo depois que foram completamente alagados, informou o Sindicato das Empresas de Transportes Rodoviários de Petrópolis (Setranspetro).

Edição: Valéria Aguiar