30 de junho de 2022 3:36 AM

VÍTIMAS DE VIOLÊNCIA

Roda de conversa promovida pela Assembleia Legislativa encoraja mulheres

Foto: Eduardo Andrade
Ideia é divulgar redes de proteção já existentes no Estado e mostrar que elas devem procurar ajuda quando se sentirem ameaçadas
Kátia Bezerra

Um olhar mais atento e encorajador às mulheres vítimas de violência doméstica foi tema da roda de conversa promovida pela Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR), por meio do Centro Humanitário de Apoio à Mulher (Chame), nesta quinta-feira (31). A temática vem sendo discutida com frequência pelo órgão, especialmente neste mês, em função das comemorações do Dia Internacional da Mulher.

A presidente do Chame e da Comissão de Defesa dos Direitos da Família, da Mulher, da Criança, do Adolescente e de Ação Social, deputada Betânia Almeida (PV), afirmou que as ações foram intensificadas e ressaltou que o evento vai fortalecer o enfrentamento contra a violência doméstica e familiar.

“Todo o dia é dia da mulher, mas este, em especial, é o mês dedicado a ela. A violência contra a mulher tira a nossa paz e por isso reforçamos as ações de conscientização. Fomos para as ruas, gritamos por elas, levamos informações para a população e alertamos sobre os direitos”, destacou.

O bate-papo reuniu especialistas e mulheres vítimas de algum tipo de violência, proporcionando troca de experiências, traumas e histórias de superação. A ideia é divulgar as redes de proteção já existentes no Estado e mostrar que elas devem procurar ajuda quando se sentirem ameaçadas. A Lei Maria da Penha (Lei nº 11.340/2006 também foi abordada.

O debate encerrou a programação dedicada ao Dia Internacional da Mulher, comemorado em 8 de março. Outros espaços de discussão devem ser promovidos nas próximas semanas, conforme explica a advogada do Chame, Nanníbia Cabral.

“Essa é a primeira roda de conversa aqui na unidade, mas já realizamos outras palestras, estendendo e retomando os atendimentos presenciais. Estamos levando informações importantes sobre empoderamento e a consciência de como a mulher pode pedir ajuda. Vamos continuar nosso trabalho”, explicou.

Uma parceira de longa data e que soma esforços em prol das mulheres é a Liga Roraimense de Combate ao Câncer, que teve representante na roda de conversa. A presidente da entidade, Magnólia Rocha, afirmou que o bate-papo também serve de alerta às mulheres sobre fatores de risco relacionados à saúde.

“Eventos como esses são importantes, pois levam conhecimento até mesmo sobre doenças que acometem mulheres, como câncer de mama. Falamos também sobre medidas preventivas, que elas vão poder procurar quando sentir algum incômodo, qual é o caminho e a rede de apoio que existe para ajudá-la”, ressaltou.

A roda de conversa aconteceu na sede da Procuradoria Especial da Mulher e foi aberta ao público em geral.

Superação

Os momentos angustiantes e dolorosos vividos pela autônoma Cosma Rocha deixaram marcas indeléveis, mas não o suficiente para que ela desistisse. Vítima de violência doméstica, Cosma preferiu estender a mão a outras mulheres que passam pelo mesmo sofrimento.

“Todo conhecimento que a gente adquire é fundamental para nossa vida, principalmente quando se trata de violência doméstica. É fundamental que todas as mulheres possam buscar informação para se libertarem da violência”, afirmou.

Há 12 anos, o Chame atua no combate às desigualdades de gênero e na proteção das mulheres vítimas de violência doméstica e familiar em Roraima e conta com uma equipe multiprofissional.  O órgão está localizado na avenida Santos Dumont, 1470, bairro Aparecida.