19 de maio de 2022 2:23 PM

Intervenção Precoce

Assembleia Legislativa promove capacitação direcionada aos familiares de crianças e adolescentes com TEA

Foto: Jader Souza
O curso vai auxiliar na atuação prática e aplicação de programas terapêuticos e, principalmente, na evolução do tratamento de crianças e adultos
Kátia Bezerra

A Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR) por meio do Centro de Apoio à Família promove, a partir desta segunda-feira (25) a capacitação da 1ª turma de Assistente Terapêutico em Intervenção Precoce Arbitrária. O curso vai discutir a “Intervenção Precoce Naturalista para Familiares de Crianças com Transtorno Espectro Autista (TEA)” e está dividido em três turnos, manhã, tarde e noite.

A qualificação segue durante toda a semana, no prédio do Instituto de Educação (IERR) e é direcionada aos familiares de crianças e adolescentes com TEA e profissionais que tratam desse público.

A deputada Angela Águida Portella (PP) participou da abertura do evento e afirmou que as ações do Centro de Apoio à Família estarão sempre voltadas à luta por políticas públicas para essa parcela da sociedade.

“Faremos o acolhimento das famílias e daremos condições para que elas possam receber atendimento de uma forma mais lúdica, com mais compreensão e estimulando a construção do conhecimento. Essa construção é diária e quando falamos do mundo dos autistas, precisamos desmistificar. Eles são pessoas com necessidades diferenciadas, mas a gente, com bastante carinho e amor, vai fazer com eles tenham uma aprendizagem natural, sem excluí-las do convívio com outras crianças”, ressaltou.

O conteúdo do curso será ministrado pela equipe do Instituto Lampos, que tem profissionais que atuam na área da intervenção precoce para crianças com autismo, com especialização em neuropsicologia e no campo da avaliação psicológica. Além disso, os profissionais são especialistas em análise aplicada do comportamento ABA para autismo e deficiência intelectual e prestam serviços de terapia e supervisão no método Denver.

O curso vai auxiliar na atuação prática e aplicação de programas terapêuticos, no desenvolvimento das sessões diárias, e principalmente na evolução do tratamento das crianças e adultos com TEA, conforme explica a psicóloga e supervisora em intervenção precoce, Nataly Muniz.

“Esse curso dará ferramentas para esses pais entenderem e estimularem seus filhos, e esses conhecimentos também servirão como forma de trabalho dentro de casa e fora dela. Além das informações, teremos aulas práticas para elas saírem daqui com a bagagem bem cheia. Isso fará com que os autistas tenham progressos significativos”, observou.

As aulas abordarão a definição e características do autismo, sinais de alerta, intervenção precoce e intensiva e metodologias de intervenção e prática baseada em evidência. Esse modelo de intervenção é voltado para crianças de até cinco anos.

Engajamento familiar

O diagnóstico recente de TEA no filho caçula da estudante Susan Palácio pegou toda a família de surpresa. No início, o impacto foi traumatizante, mas a mãe não teve escolha. “Ou eu corria atrás de informações sobre esse transtorno ou ficaria sem rumo e prejudicaria meu filho”, relembrou.

Susan é leitora assídua sobre o assunto e sempre participa de cursos e palestras para ampliar os conhecimentos e aplicar dentro de casa com toda família. “Participei da semana do autismo, também promovido pelo Centro de Apoio à Família e todo e qualquer conhecimento que venha, é bem-vindo”, afirmou.